Construcionismo
De acordo com a Wikipedia:

O construcionismo é uma teoria proposta por Seymour Papert, e diz respeito à construção do conhecimento baseada na realização de uma ação concreta que resulta em um produto palpável, desenvolvido com o concurso do computador, que seja de interesse de quem o produz. A esse termo freqüentemente se associa o adjetivo contextualizado, na perspectiva de destacar que tal produto - seja um texto, uma imagem, um mapa conceitual, uma apresentação em slides - deve ter vínculo com a realidade da pessoa ou com o local onde será produzido e utilizado. O construcionismo implica numa interação aluno-objeto, mediada por uma linguagem de programação, como é o caso do Logo.

Esse construcionismo não deve ser confundido com o construcionismo social [1], expressão que passou a designar o movimento de crítica à Psicologia Social “modernista” e que tem em Kenneth Gergen a sua principal referência teórica.

Notas

  1. Construcionismo social: uma crítica epistemológica
Fonte: Wikipedia
Acesso em 22/06/09.
Iliana Rosa
Abordagem construcionista

A abordagem construcionista não espera que o aluno apenas receba informações, mas propõe que o computador seja usado para que ele resolva problemas ou construa algo de seu interesse. Assim, usando um software, o aluno explicitará suas idéias ao invés de ser ensinado pela máquina. Segundo Schlünzen (2000, p.76), essa abordagem consiste “em criar situações que permitem ao aluno resolver problemas reais e aprender com a experiência, com os conceitos envolvidos no problema que está sendo resolvido”, além de testar suas idéias, hipóteses e estratégias.

Baseado nessa nova abordagem, o uso do computador não significaria um risco para o professor, já que ele exerceria um papel de mediador do processo de aprendizagem do aluno. Em outras palavras, ele é o orientador, o estimulador do aluno, despertando seu interesse, desafiando-o, levando-o à discussão e à reflexão.

Embora a abordagem construcionista seja adequada para que haja uma aprendizagem por meio do fazer, não se pode esperar que a máquina ofereça uma solução mágica. Para que o computador possa auxiliar o aluno na construção de seu conhecimento ele deve ser usado de forma contextualizada e significativa para o aprendiz, ou seja, é necessário que se crie um ambiente, uma situação favorável para isso.Fonte: http://coralx.ufsm.br/revce/ceesp/2005/01/a2.htm

Acesso em 24/06/09
Iliana Rosa